FECHAMENTO DA CCT 2019/2020

FECHAMENTO DA CCT 2019/2020

FECHAMENTO DA CCT 2019/2020.

Conforme edital publicado e divulgado sobre a ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA, na noite desta segunda-feira, dia 12 de agosto de 2019, os trabalhadores foram convocados para assembléia, que iniciou às 18h30min, no Auditório da FETRAEE/ES, na Rua Caramuru, 37, 2º andar – Centro – Vitória/ES para apreciação e deliberação da contraproposta do sindicato patronal para o fechamento da CCT 2019/2020.

A reunião foi conduzida pelo Presidente do SindEducação/ES, Edson Gomes Soares, pelo assessor jurídico Dr. Marcos Vinícius de Lima Bezerra e pela Secretaria Geral Zenair da Silva Borges da Costa.

O presidente do SindEducação/ES Edson Gomes falou da dificuldade de negociar a CCT 2019/2020 após a reforma trabalhista, destacou que o atual governo é mais conservador com olhar atencioso para o empresário e menos para o trabalhador e desenvolvimento do trabalho, além da MP 873/19 que foi promulgada pelo Presidente da República em 1º DE MARÇO DE 2019 extinguindo a contribuição sindical na folha de pagamento e exigindo que o trabalhador fizesse contribuição apenas por boleto, com objetivo de enfraquecer a única força de resistência e proteção do trabalhador que é o sindicato. Sem o sustento financeiro do sindicato por parte do trabalhador não existe condições de sobrevivência, visto que o sindicato não recebe nenhuma verba do governo ou apoio financeiro além da contribuição mensal dos trabalhadores. A estratégia do governo era sufocar financeiramente os sindicatos para ocorrer o fechamento, fazendo com que os trabalhadores ficassem sem representação e possibilidade de manter ou ampliar os benefícios adquiridos, pois qual empregado irá brigar com o patrão para o aumento de salário e benefícios?

Edson complementou que com todo esse cenário, agravado pela MP 873/19 a negociação ficou mais difícil e nestes meses de março até a extinção da MP, que foi em 28/06/2019, foi necessário trabalhar a negociação da CCT 2019/2020 e tentar soluções para diminuir os impactos da MP.

Após vários meses e exaustivas reuniões de negociação com o Sindicato Patronal (Sinepe-ES), sendo 8 reuniões (14 de dezembro de 2018, 30 de janeiro de 2019, 13 de fevereiro de 2019, 29 de maio de 2019, 12 de junho de 2019, 03 de julho de 2019, 29 de julho de 2019 e 07 de agosto de 2019), conseguimos aprovação da assembléia para o fechamento da convenção.

Mesmo com todas as dificuldades o SindEducação/ES conseguiu fechar a CCT 2019/2020 com grandes avanços e vantagens para os trabalhadores, que são:
– Reajuste com (INPC + ganho real) totalizando 4% para a educação básica em todos os níveis e ensino superior reajuste até 4%.
– Manutenção das cláusulas sociais (Quinquênio, Decênio, Licença-prêmio, Seguro de vida-acidentes pessoais e incapacidade temporária, Previdência privada e pecúlio, Tícket alimentação, plano odontológico, abono na aposentadoria, auxílio funeral, auxílio creche, uniforme e outros.)
– Proibição da Terceirização.
– Garantia da bolsa de estudo com avanço na Pós-graduação.
– Tícket extra no dia do Auxiliar de Administração Escolar.
– Melhoria das coberturas do Plano Odontológico.

Segundo Edson Gomes, presidente do SindEducação/ES, disse não abrir mão de batalhar para manutenção e melhoria de salários e benefícios para os trabalhadores. O sentimento é de dever cumprido e que vale a pena essa luta em defesa dos trabalhadores e melhoria das condições de trabalho dos educadores auxiliares de administração escolar. Em ano que o reajuste do salário mínimo foi menor que a inflação os trabalhadores terão muito o que comemorar pelo que conquistamos.

A Secretária Geral do SindEducação/ES, Zenair, disse que a demora no fechamento da CCT-2019/2020 se deu por conta dos empresários que ofereceram um reajuste com pequeno aumento nos salários, além de reajustes muito diferentes entre a educação básica e o ensino superior.

Rogério José Erler, Secretário de Finanças, disse sentir orgulho de participar de um sindicato que há mais de 30 anos amplia conquistas e direitos para a categoria, mas destacou a importância dos trabalhadores estarem unidos e filiados ao sindicato para continuarmos fortes e defendendo os Auxiliares de Administração Escolar do Estado do Espírito Santo.

O Secretário de Assuntos Jurídicos: Marcelo Martins, que participou das rodadas de negociação destacou que o Sindicato Patronal queria a retirada da bolsa de estudos e outros direitos conquistados pelo SindEducação/ES, ao longo dos anos.

O diretor de Comunicação do SindEducação/ES, Almir Pacheco Scheidegger, disse estar muito feliz com mais essa conquista do sindicato para os trabalhadores das creches, escolas, faculdades e universidade particular do Espírito Santo, pois mesmo com todas as dificuldades conseguimos um importante reajuste salarial, tícket extra no dia do auxiliar, proibição da terceirização e o melhor de tudo que é a manutenção de todas as cláusulas sociais que garantem bons benefícios e um salário indireto.

A Secretária de Organização, de Informática e de Patrimônio Marcilene da Silva Mageske, destacou a força e o protagonismo do SindEducação/ES por conta da categoria entender que juntos somos fortes. Categorias em que os trabalhadores não se filiam ou estão junto com o sindicato não conseguem avançar e evoluir em conquistas e aumentos de benefícios.

O Vice Presidente do SindEducação/ES Leonil Dias da Silva, falou que o nosso sindicato está defendendo os trabalhadores não só mediante as negociações, mas em todos os momentos e esferas possíveis. Lembrou que como vereador de Vitória, já apresentou inúmeros projetos, além de ter sido o único a declarar efetivo apoio aos trabalhadores demonstrando isso através de audiências públicas realizadas na Câmara Municipal de Vitória para discutir com a sociedade o impacto da reforma trabalhista e da reforma da previdência na vida dos trabalhadores.

O SINDICATO FORTE É FEITO COM TRABALHADOR SINDICALIZADO. Filie-se ao SindEducação/ES um sindicato que defende e trabalha para os auxiliares de administração escolar no Estado do Espírito Santo.